logo
Faltam
50
Dias
14
Horas
33
Minutos
21
Segundos

15/09/2016

O Social também tem espaço na Fecoimp 2016

Ao longo de suas 16 edições, a Fecoimp – Feira do Comércio e Indústria de Imperatriz, sempre acompanhou o desenvolvimento econômico de Imperatriz e da região, apresentando as novidades do comércio, indústria e serviços. Porém, confirmando a sua condição de maior feira multissetorial do Maranhão, na Fecoimp também estão presentes entidades que, pelas relevantes funções sociais que desempenham à sociedade, têm dela o seu reconhecimento.

São instituições religiosas, associações de auxílio a pessoas com câncer, ou de promoção de inclusão da pessoa com deficiência, e órgãos do poder público, todos com um objetivo em comum: o bem estar do próximo.

Neste ano, o público visitante da 16ª Fecoimp, pode conferir o trabalho realizado por estas importantes entidades existentes em Imperatriz:

Apae
Em Imperatriz há 38 anos, a Associação de Pais e Amigos de Excepcionais – Apae atende a pacientes com deficiência. Atuando nas áreas de saúde e educação, a Apae busca promover cidadania e contribuir para a completa inclusão das pessoas com deficiência na sociedade e ao mesmo tempo oferecer qualidade de vida.
Erica Ventura, presidente da entidade, destaca que para esta finalidade a Apae em Imperatriz dispõe de 23 profissionais em diferentes especialidades da área de saúde, responsáveis por até 1,3 mil atendimentos por mês. Além disso, em sua escola a entidade recebe 80 alunos, que aprendem e realizam atividades educacionais e culturais.

Associação de Amparo aos Pacientes de Câncer da Região Tocantina – Ampare
Há 12 anos prestando assistência à pessoas com câncer, a Associação de Amparo aos Pacientes de Câncer da Região Tocantina – Ampare, põe à disposição destes pacientes, uma estrutura de auxilio, apoio e orientação. Para isto, a Associação oferece hospedagem e alimentação à pacientes em tratamento na cidade Imperatriz, vindos de outros municípios e que não tenham condições financeiras de arcar com tais despesas.

Outra importante ação realizada pela entidade é a distribuição mensal de 70 cestas básicas para pessoas carentes de Imperatriz, lembra Adilene Ramos, presidente da Ampare. Para a Fecoimp, a Ampare traz produtos de suas campanhas educativas e preventivas contra o câncer, acessórios e peças de artesanato produzidos por voluntários da entidade

Igreja Adventista do Sétimo Dia
Em sua primeira participação na Fecoimp, a Igreja Adventista apresenta em seu estande um mix de marcas que atuam em diferentes segmentos, mas todos com o mesmo fim: promover a palavra de Deus e a crença em Jesus Cristo. Com uma extensa linha de publicações de literatura cristã, a Casa Publicadora do Brasil está representada na Fecoimp através da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que durante a feira divulga também a rede de televisão Novo Tempo, cujo sinal é recebido em canal aberto em Imperatriz (canal 44).

O Pastor Tiago Procópio destaca ainda a marcante presença da Igreja Adventista em Imperatriz também na segmento educativo, onde é oferecido desde os anos iniciais de escolarização até os anos finais do Ensino Médio. “O nosso objetivo na Fecoimp é integrar, tornar conhecido, aproveitar este evento muito bem organizado pela Associação Comercial e Industrial de Imperatriz, e integrar à comunidade comercial de Imperatriz, estas marcas e estas iniciativas da Igreja Adventista. Lembrando que todas elas são de caráter filantrópico, sem fins lucrativos”, ressalta o pastor.

Secretaria Municipal de Políticas para Mulher – SMPM
A Secretaria Municipal de Políticas para Mulher – SMPM desenvolve políticas públicas, por meio de ações que visam garantir a cidadania da mulher e assegurar seu direito. Em parceria com órgãos do poder público, privados e sociedade, realiza ações de prevenção e combate às formas de violação dos direitos da mulher, acolhendo e prestando auxílio em casos de vítimas de violência.

“Temos dois serviços importantes dentro da secretaria, o CRAM, que é o Centro de Referencia e Atendimento à Mulher e a Casa Abrigo, onde a mulher e seus filhos de até 16 anos são acolhidos quando correm risco”, explica a assistente social Neusa de Araújo.
“Nesta casa recebemos as mulheres através de encaminhamentos das delegacias especiais e dos órgãos do poder Judiciário, como a Defensoria Pública, a Vara da Mulher, e o Ministério Público”, completa Neusa de Araújo.

Nossos Parceiros